Café com amor

cafeSempre fui uma amante de café!

Quando eu era mais nova, eu jogava futebol na academia. Acabava o treino e íamos todas para a lanchonete, eu tomava café enquanto minhas amigas tomavam whey… até hoje elas falam disso!!

As pessoas não me chamam pra tomar uma cerveja, me chamam pra tomar um café! Já tenho essa fama e me orgulho dela!

Tomar um café sempre teve uma simbologia muito maior pra mim do que simplesmente o ato de beber o café. Considero um ritual, um momento de pausa, um momento de encontro, com alguém ou comigo mesma!

E quando eu digo café, pra mim é realmente café puro, mas há quem faça esse ritual com chá, chimarrão, capuccino, não importa! O que importa são aqueles minutinhos que seu corpo pede uma pausa e você o respeita! Esses momentos, renovam qualquer um.

Na minha opinião, café e amor são palavras que combinam muito! Café e maternidade também! Maternidade e amor nem se fala…
eueele
Mas, curiosamente, quando engravidei não conseguia tomar café… o cheiro me enjoava e sofri com isso!

Em compensação depois que nasce um filho… é quase impossível sobreviver sem um bom café! A gente dorme muito menos, o cansaço é grande e esses momentos de pausa são necessários e raros, mas quando ocorrem são maravilhosos!

Já contei que não estava trabalhando quando Lorenzo nasceu – e me sinto muito privilegiada por isso – e passeávamos diariamente até uma pracinha perto da minha casa… era uma delícia, tínhamos contato com a natureza, depois Lorenzo dormia e eu sentava num café que tinha na praça. Com um livro, com meus pensamentos, com minhas dúvidas, com meu filho… tenho lembranças maravilhosas desses cafés!

Uma das primeiras palavras que Lorenzo falou foi ‘Papá’ que era como ele chamava a Amparo, garçonete que sempre nos atendia lá de forma muito carinhosa! Tenho certeza que um dia voltarei lá com o Lô quando ele for mais velho e vou contar pra ele com saudades e com muita alegria desses momentos deliciosos que passamos juntos ali…
livros

Primeiro foi fase dele ficar no carrinho me olhando ou dormindo enquanto eu lia, depois tivemos a fase do colo, a do sling, a fase do suquinho de laranja lima, a fase dele querer o biscoito do meu café (essa fase dura até hoje) e a fase de eu correr atrás dele com minha xícara de café na mão (dura até hoje também)!

E que mãe que nunca tomou o café gelado porque largou a xícara em algum lugar e só achou depois?!? Todas lembranças e fases maravilhosas!

Adoro quando o café vem acompanhado de algum outro item igualmente especial: um bolo de cenoura, um bom livro, uma revista, uma grande amiga, sua mãe, seu bebê no carrinho…image2

Cafés com os filhos é sempre maravilhoso, mas cafés com outras mães… são muito especiais! São verdadeiros cafés terapia! Nesses momentos falamos com aquelas que realmente nos entendem, passam pelos mesmos perrengues, tem as mesmas dúvidas, as mesmas culpas, as mesmas aflições… e parece que saímos desses encontros bem mais leves, vendo que passamos por situações muito parecidas e percebemos que um bom papo com uma amiga e uma boa xícara de café podem sim mudar nosso dia!

Amo e valorizo demais esses encontros!

familiaPra mim café também é sinônimo de família, aqui em casa o café da manhã é a única refeição que fazemos os 3 juntos e sou bem chata em relação a isso, acho sagrado! Acordo e já coloco meu cafezinho pra fazer enquanto colocamos a mesa juntos….

Lorenzo divide o mamão com o pai, pega metade da minha tapioca, faz a maior bagunça, Fred fala que está atrasado… todo dia é tudo meio parecido, tudo isso com aquele cheirinho de café pairando no ar…

Essa bagunça matinal faz eu começar o dia feliz! Aos finais de semana adoramos tomar café fora, sempre em família também! Já virou uma tradição…

Por aqui quero mostrar pra vocês um pouco desses meus rituais, dos meus momentos de paz, de café terapia, meus cafés preferidos na cidade, nossos cafés em família e muito mais!

Café com amor, sempre!

Love,

Gaby
image

Anúncios